Desde 1987 que o Pirilampo Mágico marca presença na vida dos portugueses, mas este ano existem grandes novidades!
Em 2018, o Pirilampo Mágico assume uma nova imagem, mais ousada e moderna.
Mas mantém a missão que esteve na base da sua criação: lutar pela defesa e consagração dos direitos das pessoas com deficiência intelectual e multideficiência e apoiar as organizações que lhes prestam suporte!

Contamos com cada um de vós para fazer chegar a mensagem deste novo Pirilampo Mágico o mais longe possível descobrindo novas fronteiras!
Estão preparados? Junto chegamos mais longe!

Campanha Pirilampo Mágico 2018 – 18 de Maio a 10 de Junho

O trabalho desenvolvido pelas Cerci’s tem merecido o reconhecimento generalizado por parte dos agentes sociais e políticos e da opinião pública em geral, face à qualidade e inovação do serviço prestado em diversos domínios. Parte deste reconhecimento, decorre da visibilidade dada pela Campanha Pirilampo Mágico, que envolve cerca de 100 organizações sem fins lucrativos e mobiliza milhares de pessoas entre familiares, técnicos e cidadãos anónimos. Esta iniciativa tem como objetivos:
Informar e sensibilizar a opinião pública sobre a problemática da pessoa com deficiência intelectual e/ou multideficiência, procurando salvaguardar o direito à igualdade de oportunidades e o exercício da cidadania plena desta população;
Defender a integração das pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência, respeitar a sua diferença, tendo em conta a rentabilização do seu potencial;
Angariar fundos em favor das CERCI’s e outras organizações congéneres.

Mais informação:

Site do Pirilampo Mágico
Facebook do Pirilampo Mágico
*****

A FENACERCI é a Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social, cuja missão é desenvolver a qualidade e sustentabilidade das respostas disponibilizadas pelas suas 53 associadas e, através destas, promover os direitos das cerca de 25 mil pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência direta ou indiretamente
apoiadas pelas Cerci’s.
Tal é concretizado através de processos de representação e formação, sustentadas em lógicas de reconhecimento e validação e acreditação da ação desenvolvida, junto da comunidade e dos interlocutores institucionais.