Paróquia da Gafanha da Nazaré

nsnazare

Orago

A Nossa Senhora da Nazaré é a padroeira da Gafanha da Nazaré, a primeira imagem, com cerca de 30 cm, desapareceu e foi substituída por uma que actualmente possui grande valor e pode ser apreciada na sacristia da Igreja Matriz.

matriz

Igreja Matriz

A primitiva Igreja Matriz da Gafanha da Nazaré era um belo Templo do princípio do Século XX. Era um Templo simples, belo e de grande harmonia e dignidade arquitetónica. O traçado era o mesmo dos Templos dos Séculos XVIII e XIX. Quem o construiu soube imprimir nos ombrais das portas, na grandiosidade do Arco Cruzeiro, na simplicidade dos altares e na beleza da tribuna onde os capiteis mostravam bem o desejo do crente manifestar a grandeza de Deus, através do trabalho manual, bem elaborados e duma finura que mostra bem a vontade de construir um Templo que fosse verdadeiramente Templo. O obreiro desta obra foi o Prior Sardo.

Na década de sessenta o então Prior Padre Domingues alterou todo o traçado arquitetónico.
Na década de noventa os engenheiros verificaram graves lacunas quer na segurança quer no enquadramento. O Prior Padre Dr. Sardo Fidalgo lançou o desafio à Paróquia e os crentes e praticantes colaboram de forma excelente.
O Complexo da Igreja Matriz é composto pelo Corpo do Templo, completamente reformulado e dois auditórios, dez salas de Catequese, cartório Paroquial, Biblioteca, Museu, Sala de Audio-visuais, sala das Irmandades e Movimentos, Sala dos Conselheiros e Coordenação de Catequese e ainda Sala dos Corais Litúrgicos.
O povo pode orgulhar-se desta obra que é das melhores, senão a melhor, desta área geográfica e do Distrito de Aveiro.
A 10 de Setembro de 1910 a Paróquia da Gafanha da Nazaré foi instituída. Foi na já destruída capela da Cale da Vila que principiou o serviço paroquial.
A 14 de Janeiro de 1912 foi benzida a atual igreja que, na década de sessenta, sofreu profundas obras de beneficiação. Estas obras, alteraram por completo a sua traça original.

cale_vila

Igreja da Cale da Vila

A 4 de Novembro de 1978, foi iniciada a construção da Capela da Cale da Vila, depois do projeto da autoria de Manuel Garcia Serra ser assinado pela câmara de Ílhavo e a Câmara Eclesiástica. Eram nove horas e trinta minutos, quando se iniciaram as cerimónias que foram presididas pelo Bispo de Aveiro, Senhor D. António, e com a presença do pároco da Freguesia da Gafanha da Nazaré, Sr. Padre Miguel e do Padre António Maria Borges, seu adjunto. Estas foram presenciadas por algumas dezenas de pessoas que se encontravam no local. Também o coral da Cale da Vila esteve presente alegrando o ambiente com algumas canções do seu reportório, dando mais alegria ao ato presente que se vivia na altura, pois todos estavam desejosos por ver o início do grande sonho: a construção da capela.
“O Senhor Bispo foi o primeiro a dar as enxadadas da praxe, assim como o Padre Miguel e o Padre António, calhando então o prato forte a esta Comissão que sobre as ordens do Mestre Balacó, o qual chamou a si a responsabilidade técnica da obra.”
A Bênção da Capela e a sua “abertura oficialmente ao culto” foi a 3 de Julho de 1983, presidindo o Senhor Bispo de Aveiro, D. Manuel de Almeida Trindade.

chave

Capela da Chave

A igreja da Chave foi construída em 1980. De dimensões pequenas e sem enquadramento arquitetónico, é habitualmente espaço para a Celebração Eucarística, ao sábado, e até à inauguração das obras de Igreja Matriz tem aos Domingos a Celebração da Palavra.
Em 1992, foi completamente remodelada, uma vez que o espaço celebrativo não oferecia o ambiente litúrgico adequado. O altar estava no centro do pequeno Templo o que dificultava o ambiente de recolhimento e participação. Atualmente, após a remodelação, a Igreja da Chave tem o altar na frente, tendo ao lado um pequeno espaço para o coral litúrgico.
A igreja da Chave é um espaço católico que ajuda a unidade do Povo deste lugar, tendo sido construída em 1980 quando era Prior, o Senhor Padre Miguel Lencastre, e remodelada em 1992, sendo Prior o Senhor Padre José Sardo Fidalgo.
A paróquia anseia que se possa chegar ao dia em seja proclamada Nossa Senhora dos Aflitos, Padroeira da Chave.
(in Apontamento dos Serviços Litúrgicos da Paróquia)

sra_aflitos

Capela da Senhora dos Aflitos

O Rev. António da Silva Caçoilo, tendo paroquiado as freguesias de Trouxemil, Taveiro e Arega, mas impossibilitado de continuar no exercício da vida paroquial, por motivo de doença, regressou à Gafanha da Nazaré, terra da sua natalidade e mandou construir na chave, junto à sua casa, uma capela pública, e que dedicou à Nossa Senhora dos Aflitos.
A licença episcopal para a sua bênção tem a data de 24 de Dezembro de 1921.

forte

Capela da Nª Srª dos Navegantes

Trata-se da mais antiga Capela da Gafanha, cuja construção se iniciou a 3 de Dezembro de 1863, sob a direcção do Engenheiro Silvério Pereira da Silva. Neste monumento destacam-se paredes ameadas e a ombreira da porta principal, de pedra de Ançã lavrada em espiral, com arco em ogiva.

É também chamada por Capela do Forte, à qual é feita sua procissão em Setembro. Esta procissão sai do Stella Maris em direcção ao Cais dos Bacalhoeiros. A imagem da Nossa Senhora dos Navegantes segue numa traineira principal que é acompanhada por centenas de embarcações até S. Jacinto, esta procissão marítima termina na Capela do Forte, com celebração de uma missa.

 

Paróquia da Praia da Barra

barra

Igreja da Sagrada Família

A igreja da Sagrada Família da Praia da Barra foi inaugurada em 1987, dado que a pequena capela de S. João, situada junto ao farol, se revela manifestamente insuficiente para as necessidades desta paróquia.
É uma construção moderna, na qual é notória a falta de unidade arquitétonica, pois foi alvo de intervenções de vários projetistas, o que se verifica pela heterogeneidade do conjunto. Apresenta planta centrada de base quadrada sob a diagonal.
A entrada principal é marcada por dois corpos laterais que sobem em forma de mãos erguidas. O batistério é acentuado por um corpo cilíndrico, no topo do qual uma estrutura em forma de cruz permite que o sol proteja a sua sombra do mesmo.

sjoao_bap

Capela de S. João Baptista

Podemos encontrar na Praia da Barra uma pequena capela privada que serviu de local de culto nesta localidade até à construção da Igreja da Sagrada Família. Esta acolhedora capela é, ainda hoje, sede dos festejos em honra de S. João.
Como motivo de maior interesse, destacam-se dois painéis de azulejo da autoria de Lourenço Limas, colocados na sua fachada em 1949, aquando das obras de remodelação da capela.

shoenstatt

Santuário de Schoenstatt

O Santuário de Schoenstatt da Gafanha da Nazaré, inaugurado no dia 21 de Outubro de 1979, é uma reprodução autêntica do Santuário original, fundado pelo Padre José Kentenich, em Schoenstatt/Valendar – Alemanha no dia 18 de Outubro de 1914.
Naquela altura era uma Capelinha antiga dedicada a S. Miguel. Por inspiração divina, o padre Kentenich, com um grupo de jovens seus dirigidos, convidou a Nossa Senhora a estabelecer aí a sua morada e conceder abundantes graças a todos os que aí fossem rezar. Da sua parte, eles prometeram oferecer-lhe todas as suas ações e esforços do dia a dia, sobretudo pelo cumprimento exato do dever, pelo aperfeiçoamento interior e dedicação a Deus e ao próximo.
Pela aliança de amor que assim selaram com Maria, a capelinha foi transformada em Santuário, isto é, num lugar de presença e atuação especial de Nossa Senhora, num Lugar de Graças.
Com o decorrer dos anos, esse santuário multiplicou-se, abrangendo, hoje, dezenas de países dos 5 continentes. São, atualmente, cerca de cento e cinquenta Santuários de Schoenstatt espalhados pelo mundo. Todos, réplicas autênticas do original, e Centros de Peregrinação.
Implantado em pleno coração da Colónia Agrícola, a sua primeira pedra foi traduzida em Roma depois de abençoada pelo Papa João Paulo II e tem incrustada uma outra pedra originária do túmulo de S. Pedro.
Como em todos os Santuários de Schoenstatt, também aqui, Nossa Senhora é venerada como Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admiráveis de Schoenstatt.